Agenda
Estratégica

Agenda
Estratégica

 

COMO NASCE
 

 

A estratégia de cooperação transfronteiriça nasceu da vontade partilhada pela Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e do Concelho de Tomiño com o objetivo de estabelecer linhas de intervenção conjuntas para o desenvolvimento integrado do território, agrupando políticas de proteção de recursos naturais, de desenvolvimento económico sustentável e de coesão social transfronteiriço do Minho.

Uma estratégia que precisa da cooperação inteligente das administrações locais e regionais, dos agentes públicos e privados, e da participação pública dos dois concelhos para lutar pela valorização do património cultural e natural, para uma gestão partilhada de equipamentos e de serviços públicos, para a planificação estratégica do território e para conseguir fontes de financiamento para avançar com os projetos.

Com este trabalho conjunto pretende-se elaborar estratégias de desenvolvimento e também ações e projetos específicos que possibilitem uma maior integração territorial das duas margens do rio, otimizando assim os recursos humanos, económicos, naturais e os recursos culturais disponíveis e aproveitando ao máximo as potencialidades da Eurorregião.


PONTE DA AMIZADE

Não é uma colaboração recente, visto que há anos que Tomiño e Cerveira estreitam os seus laços. Já em 1985, com Portugal e Espanha prestes a entrar na CEE e com a eminente desaparição das fronteiras entre os dois Estados, os dois concelhos deram o primeiro passo para aprofundar as relações transfronteiriças mediante a celebração do Protocolo da Amizade. Em 2004, essa união refletiu-se fisicamente com a inauguração da Ponte da Amizade-Ponte Internacional que une os dois concelhos e que deu o relevo aos ferryboats de Goián-Cerveira que, até àquela altura, eram utilizados como meio para fazer a travessia de uma margem à outra. Uma ponte que eliminou as grandes barreiras de mobilidade entre as duas margens, que permitiu agilizar as relações entre as duas localidades vizinhas, aprofundar laços históricos e culturais e potenciar os intercâmbios comerciais: a abertura de portas definitiva a nível económico, cultural, turístico e o repensar do território como um espaço único.


CARTA DA AMIZADE
sandra_alvarez_fernando_nogueiraw

Para celebrar os dez anos de história da ponte, Tomiño e Cerveira quiseram ter um novo gesto de consolidação das suas relações bilaterais, onde a participação pública e ativa da cidadania fosse um dos eixos principais.

Ao assinarem a 'Carta da Amizade' os dois concelhos reconheceram essa cooperação territorial única como um dos métodos mais eficazes para a aproximação das povoações fronteiriças, para a supressão das dificuldades que implicam todas as fronteiras e para a promoção da cooperação institucional no desenvolvimento económico, social e cultural.


AGENDA ESTRATÉGICA

Prolongando essa ponte e ao abrigo da Carta da Amizade, eis como surge a Agenda Estratégica de Cooperação Transfronteiriça Cerveira-Tomiño, um documento de referência para estabelecer os eixos estratégicos, as linhas de atuação e as prioridades para definir os projetos conjuntos. São projetos que se concretizam através do debate participativo entre os diferentes agentes que compõem o espaço transfronteiriço e que procuram aprofundar a problemática complexa da superação das barreiras que durante séculos afastaram estas duas localidades situadas em cada margem do rio.

Com o rio Minho e a ponte como vínculo de identidade cultural, o plano de ação constrói-se a partir do reconhecimento dos elementos identificativos de cada município e da forma como estes se conjugam nesse espaço transfronteiriço. Para isto, formaram-se quatro grupos de trabalho dedicados a âmbitos considerados determinantes para o desenvolvimento comum do território:


  • O rio Minho como recurso a potenciar.
  • Mobilidade transfronteiriça e desenvolvimento territorial.
  • Gestão partilhada dos serviços públicos.
  • Desenvolvimento económico.
aectw

Que reúnam a população e os agentes locais, e entidades regionais da Galiza e do Norte de Portugal para a preparação do diagnóstico que servirá para a apresentação de um plano de ação com projetos candidatos aos fundos comunitários, especialmente ao Programa de Cooperação Interreg V-Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020.


EUROCIDADE

Todo este trabalho conjunto derivou na aprovação da ‘Constituição da Eurocidade Cerveira-Tomiño’, um passo natural com vista a um projeto de futuro com que ambos concelhos procuram continuar a seguir na atual cooperação transfronteiriça e na gestão partilhada. Trata-se de um documento que estabelece as bases para a criação da denominação desta Eurocidade e que tem como objetivo a promoção conjunta da cooperação institucional, a valorização do património natural e cultural, a gestão partilhada de equipamentos e de serviços públicos ou o planeamento estratégico do território, entre outros aspetos.